• Saúde

Executivo avalia gestão pública de saúde em São Paulo

26.10.2017

Se a gestão dos hospitais públicos não melhorar, o sistema de saúde brasileiro vai sucumbir. O diagnóstico é do engenheiro Antonio José Rodrigues Pereira, superintendente do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da Universidade de São Paulo (HCFMUSP). O profissional é um dos destaques da revista GV-Executivo, da Escola de Administração de Empresas de São Paulo (EAESP), que em sua última edição se dedica a traçar um diagnóstico da gestão da saúde no Brasil.

Desde 2004 na função, Antonio defende uma quebra de paradigmas no maior complexo hospitalar da América Latina, diante do esforço seu e de seus colegas em integrar administração e medicina, por meio de planejamento, eventos focados na qualidade do serviço prestado, um novo sistema de informações e parcerias com empresas privadas.

Com relação à saúde no Brasil, Antonio acredita que o principal problema é a falta de tecnologia, informação e conhecimento, o que permitiria decisões mais estratégicas, principalmente no Sistema Único de Saúde (SUS). Segundo ele, saber as necessidades de cada hospital – desde o número de luvas utilizadas até a demanda por leitos – é fundamental para que o SUS seja de fato integrado e os pacientes possam ser distribuídos adequadamente.

“Acho o SUS perfeito, mas precisamos de informação e conhecimento para tomar decisões corretas. É isso que falta”, disse. 

Além disso, Antonio falou sobre sua trajetória profissional; ressaltou a importância de o sistema público trabalhar em sincronia com o privado, interagindo e realizando parcerias com empresas; e também sobre as perspectivas da saúde no Brasil para os próximos anos.

O conteúdo completo está disponível no site.