Adapta NE

Adapta NE

Mapeamento, Análise e Viabilização de Medidas de Adaptação Relacionadas a Extremos de Chuvas na região Nordeste do Brasil

 

Duração: 2022 - 2024
Financiamento: Fundação Getulio Vargas

O projeto de pesquisa Mapeamento, Análise e Viabilização de Medidas de Adaptação Relacionadas a Extremos de Chuvas na região Nordeste do Brasil tem como objetivo contribuir para a redução de riscos e impactos relacionados a eventos climáticos extremos de excesso de chuvas, por meio da análise e sistematização de dados e experiências municipais e da formulação de contribuições  para medidas de adaptação viáveis e aderentes aos contextos de  territórios priorizados junto aos parceiros do projeto.  

O projeto possui três frentes de trabalho: 

  1. Realização de estudo de caso em três municípios brasileiros – Petrópolis (RJ), Franco da Rocha (SP) e Itabuna (BA), a fim de compreender os principais problemas que levaram a desastres de extremos de chuva, as reações do poder público e população, lições aprendidas e gargalos para uma gestão do risco nas localidades elencadas; 
  2. Colaboração com a Defesa Civil de Salvador (CODESAL) para fortalecimento da atuação em áreas de alto risco, por meio da participação social via Núcleos Comunitários de Proteção e Defesa Civil (NUPDECs); e 
  3. Atuação junto à Diretoria de Resiliência de Salvador (SECIS) para fortalecer a implementação de políticas e programas de Educação Ambiental e Climática. 

 

Atividades:

Frente I: estudos de caso - Petrópolis (RJ), Franco da Rocha (SP) e Itabuna (BA)

  • Levantamento de dados secundários sobre os três municípios dos estudos de caso, no que tange ao histórico e recorrência de desastres de extremos de chuva e aos planos e políticas municipais de gestão de riscos, adaptação e resiliência;
  • Levantamento de dados primários (entrevistas semiestruturadas e rodas de conversa) junto a diversos setores do poder público municipal, sociedade civil organizada e estudiosos dos três municípios, para entendimento e sistematização de gargalos e lições aprendidas decorrentes do enfrentamento de desastres climáticos de extremos de chuva;
  • Sistematização das informações e elaboração de relatório com triangulação das informações levantadas nos três municípios e na frente II; e
  • Elaboração de resumo executivo voltado às pessoas técnicas e gestoras das municipalidades. 

 

Frente II: Colaboração com a Defesa Civil de Salvador (CODESAL)

  • Levantamento de dados secundários sobre Salvador e sua política de prevenção de riscos de desastres, adaptação e resiliência;
  • Levantamento de dados primários (entrevistas semiestruturadas e rodas de conversa) junto a diferentes áreas da Defesa Civil de Salvador (CODESAL), especialistas e lideranças da sociedade civil participantes dos Núcleos Comunitários de Proteção e Defesa Civil (NUPDECs) de áreas prioritárias para entendimento e sistematização de ações no âmbito da prevenção de desastres, com foco nas relações comunitárias para prevenção e redução de riscos do município;
  • Parceria com CEMADEN / MCTI, com contratação de bolsista para avaliar a variação espaço-temporal dos padrões de expansão urbana em Salvador e região metropolitana, visando identificar territórios urbanos em situações de risco de inundações; 
  • Cruzamento e sistematização das informações e dados levantados nas frentes I e II, para contribuir na melhoria das ações/planos de prevenção e contingência de eventos de extremos de chuvas;
  • Elaboração de resumo executivo para pessoas técnicas e gestoras da municipalidade. 

 

Frente III: Atuação junto à Diretoria de Resiliência de Salvador (SECIS) para fortalecer a implementação de políticas e programas de Educação Ambiental e Climática

  • Realização de evento de troca de experiências sobre educação ambiental e climática entre a Secretaria de Sustentabilidade, Resiliência e Bem-estar e Proteção Animal (SECIS) de Salvador e membros das prefeituras municipais de Petrópolis (RJ), Santos (SP) e Teresina (PI), visando contribuir para o desenvolvimento/fortalecimento de programas municipais de educação ambiental. 
  • Elaboração de relatório do evento, com sistematização e análise das informações levantadas.

 

Transversais:

  • Produção de um artigo acadêmico sobre experiências e aprendizados de gestão de riscos de desastres nos municípios estudados;
  • Realização de evento de devolutiva e troca de experiências entre os municípios participantes do projeto.

 

Parceiros:

CEMADEN (Centro Nacional de Monitoramento e Alertas de Desastres Naturais / MCTI)

Prefeitura Municipal de Salvador

 

Crédito da imagem: Tomaz Silva/Agência Brasil (Petrópolis, RJ)

Esse site usa cookies

Nosso website coleta informações do seu dispositivo e da sua navegação e utiliza tecnologias como cookies para armazená-las e permitir funcionalidades como: melhorar o funcionamento técnico das páginas, mensurar a audiência do website e oferecer produtos e serviços relevantes por meio de anúncios personalizados. Para mais informações, acesse o nosso Aviso de Cookies e o nosso Aviso de Privacidade.