Desenvolvimentismo e os determinantes do investimento: um exercício econométrico para o Brasil na década de 2000

Janeiro, 2020

Autor(es)

Carmem Feijo (UFF)
Julia de Medeiros Braga (UFF)
Mariana Finello Corrêa (UFF)

Neste artigo, revisamos brevemente o atual debate no Brasil entre os novos desenvolvimentistas e os social-desenvolvimentistas. Ambos os grupos assumem que o investimento é o principal componente da demanda agregada para explicar o crescimento. No entanto, a variável-chave para determinar a demanda por investimento é diferente para cada grupo. Para os novos desenvolvimentistas, a variável chave é a taxa de câmbio real. Para o segundo grupo, investimento público e consumo de massa doméstico são as variáveis mais relevantes. Diante desse debate, testamos modelos econométricos que capturam os determinantes do investimento no Brasil na década de 2000. Começamos com a função de investimento apresentada por Bhaduri e Marglin (1990) e adicionamos outras variáveis de acordo com o debate desenvolvimentista. Encontramos resultados robustos que confirmam a validade das hipóteses de Bhaduri e Marglin, bem como as propostas pelos novos desenvolvimentistas e pelos social-desenvolvimentistas.

Nosso website coleta informações do seu dispositivo e da sua navegação por meio de cookies para permitir funcionalidades como: melhorar o funcionamento técnico das páginas, mensurar a audiência do website e oferecer produtos e serviços relevantes por meio de anúncios personalizados. Para saber mais sobre as informações e cookies que coletamos, acesse a nossa Política de Cookies e a nossa Política de Privacidade.