Voltar

  • Institucional

Covid-19: Estudo da FGV aponta que 56% dos profissionais têm dificuldade com trabalho remoto

21.05.2020

O dado é da pesquisa de percepção dos brasileiros sobre home office em tempos de pandemia realizada pelo Centro de Inovação da FGV EAESP

O trabalho remoto virou uma realidade durante a pandemia do Novo Coronavírus. Profissionais do mundo inteiro trocaram o escritório da empresa pelo de casa ou por algum cantinho doméstico com mesa, cadeira e computador com acesso à internet. Isso acontece porque o isolamento social é a medida adotada para evitar o contágio pela Covid-19. 

Sem poder sair do lar, o único jeito de continuar trabalhando, para quem não se dedica aos serviços essenciais (saúde, alimentação etc), é cumprir na residência as demandas da empresa. Essa situação completamente nova muda a forma de trabalhar de muitos brasileiros, que passam a desempenhar compromissos empresariais ao lado da família, tendo que dar conta da casa, dos filhos, do animal de estimação e do trabalho ao mesmo tempo porque todos demandam atenção. Tudo isso mexe com a rotina e com a administração do tempo, das atividades e do relacionamento com as pessoas.  

A complexidade dessa situação foi comprovada pela ciência em um estudo da percepção dos brasileiros sobre home office em tempos de pandemia. Trabalhar em casa tem sido um desafio para 56% dos profissionais do país, que encontram muita ou moderada dificuldade em equilibrar as atividades profissionais com as pessoais, segundo o FGVin, o centro de pesquisas sobre inovação da Fundação Getulio Vargas e que faz parte da Escola de Administração de Empresas de São Paulo (FGV EAESP). 

Veja a repercussão do estudo no Você S.A. Online e no Yahoo Notícias.

Mais Notícias