Plano do curso

Disciplina
Carga Horária
Professor
  • Metodologia de Problemas Científicos

    Gestores tendem a basear suas decisões em hábitos e convenções e em autoconfiança. O curso se propõe a trazer o processo científico para o centro do processo de decisão do gestor. O curso tem como objetivo discutir como a metodologia científica pode ser usada para a resolução de problemas de negócios, em outras palavras, a gestão baseada em evidências, que significa usar as melhores evidências disponíveis no processo de decisão das organizações. A proposta é desenvolver o pensamento crítico para buscar a teoria, conteúdos e conhecimentos mais adequados para produzir as melhores evidências reduzindo vieses e julgamentos inadequados.

    Gestores tendem a basear suas decisões em hábitos e convenções e em autoconfiança. O curso se propõe a trazer o processo científico para o centro do processo de decisão do gestor. O curso tem como objetivo discutir como a metodologia científica pode ser usada para a resolução de problemas de negócios, em outras palavras, a gestão baseada em evidências, que significa usar as melhores evidências disponíveis no processo de decisão das organizações. A proposta é desenvolver o pensamento crítico para buscar a teoria, conteúdos e conhecimentos mais adequados para produzir as melhores evidências reduzindo vieses e julgamentos inadequados.

    Carga horária
    30h
    • Carlos Eduardo Lourenço

      Carlos Eduardo Lourenço

      Doutor em Administração de Empresas (Departamento de Mercadologia) pela FGV-EAESP (2016). Possui graduação em Engenharia de...

      Saiba mais
      Títulação
      Doutor em Administração de Empresas pela Fundação Getulio Vargas
      Qualificação
      Credenciais iniciais acadêmicas; Engajamento acadêmico
      Tempo na FGV EAESP
      desde 2014
    • Gilberto Sarfati

      Gilberto Sarfati

      Professor Associado de Estratégia e  Empreendedorismo. Possui graduação em Ciências Econômicas pela Pontifícia Universidade...

      Saiba mais
      Títulação
      Doutor em Ciências Políticas pela Universidade de São Paulo
      Qualificação
      Credenciais iniciais acadêmicas; Engajamento acadêmico
      Tempo na FGV EAESP
      desde 2008
    • Luciana Marques Vieira

      Luciana Marques Vieira

      PhD em Agricultural and Food Economics pela University of Reading, Reino Unido ((2004). Pesquisadora visitante na Brown...

      Saiba mais
      Títulação
      Doutora em Economia Agrícola e Alimentar pela Universidade de Reading, Inglaterra
      Qualificação
      Credenciais iniciais acadêmicas; Engajamento acadêmico
      Tempo na FGV EAESP
      desde 2016
Disciplina
Carga Horária
Professor
  • Tendências para a Competitividade

    A gestão é uma área de conhecimento muito ampla, que apresenta especificidades nas diversas áreas funcionais que compreendem o campo da Administração, nas inter-relações entre estas áreas funcionais e nos setores particulares de atuação dos negócios e os programas gerais de formação em Administração, que, em geral, não contemplam conteúdo específico necessário para a competitividade. Tendências da Competitividade é uma matéria integrativa que visa refletir sobre o significado da competitividade, as dimensões organizacionais, pessoas e institucionais da competitividade e o reflexo prático da área de concentração do Programa no trabalho dos egressos.

    A gestão é uma área de conhecimento muito ampla, que apresenta especificidades nas diversas áreas funcionais que compreendem o campo da Administração, nas inter-relações entre estas áreas funcionais e nos setores particulares de atuação dos negócios e os programas gerais de formação em Administração, que, em geral, não contemplam conteúdo específico necessário para a competitividade. Tendências da Competitividade é uma matéria integrativa que visa refletir sobre o significado da competitividade, as dimensões organizacionais, pessoas e institucionais da competitividade e o reflexo prático da área de concentração do Programa no trabalho dos egressos.

    Carga horária
    15h
    • Gilberto Sarfati

      Gilberto Sarfati

      Professor Associado de Estratégia e  Empreendedorismo. Possui graduação em Ciências Econômicas pela Pontifícia Universidade...

      Saiba mais
      Títulação
      Doutor em Ciências Políticas pela Universidade de São Paulo
      Qualificação
      Credenciais iniciais acadêmicas; Engajamento acadêmico
      Tempo na FGV EAESP
      desde 2008
  • Negociação

    O objetivo do curso de negociação é discutir como a negociação pode ser um instrumento de gestão que pode afetar a competitividade da empresa seja na gestão dos conflitos internos à organização seja no relacionamento de negócios, facilitando a comunicação entre as partes. Para tanto serão abordados os seguintes tópicos: fundamentos da negociação. Tipos e abordagens de negociação. Planejamento, execução e avaliação da negociação. Aspectos emocionais da negociação. Aspectos cognitivos da negociação. Estilo de negociação

    O objetivo do curso de negociação é discutir como a negociação pode ser um instrumento de gestão que pode afetar a competitividade da empresa seja na gestão dos conflitos internos à organização seja no relacionamento de negócios, facilitando a comunicação entre as partes. Para tanto serão abordados os seguintes tópicos: fundamentos da negociação. Tipos e abordagens de negociação. Planejamento, execução e avaliação da negociação. Aspectos emocionais da negociação. Aspectos cognitivos da negociação. Estilo de negociação

    Carga horária
    15h
    • Gilberto Sarfati

      Gilberto Sarfati

      Professor Associado de Estratégia e  Empreendedorismo. Possui graduação em Ciências Econômicas pela Pontifícia Universidade...

      Saiba mais
      Títulação
      Doutor em Ciências Políticas pela Universidade de São Paulo
      Qualificação
      Credenciais iniciais acadêmicas; Engajamento acadêmico
      Tempo na FGV EAESP
      desde 2008
  • Comunicação

    O objetivo do curso é aumentar o conhecimento dos alunos na área de comunicação interpessoal no contexto organizacional e práticas de suas habilidades comunicacionais. As ferramentas de comunicação são parte importante para o desempenho de qualquer organização, tanto pelo estímulo ao fluxo de informações quanto pela construção de um ambiente de trabalho saudável.

    O objetivo do curso é aumentar o conhecimento dos alunos na área de comunicação interpessoal no contexto organizacional e práticas de suas habilidades comunicacionais. As ferramentas de comunicação são parte importante para o desempenho de qualquer organização, tanto pelo estímulo ao fluxo de informações quanto pela construção de um ambiente de trabalho saudável.

    Carga horária
    15h
    • Marcelo Oliveira Coutinho de Lima

      Marcelo Oliveira Coutinho de Lima

      É doutor (2002) e mestre (1996) em Sociologia pela Universidade de São Paulo, com graduação em Comunicação Social pela mesma...

      Saiba mais
      Títulação
      Doutor em Sociologia pela Faculdade de Filosofia e Ciências Humanas da USP
      Qualificação
      Credenciais iniciais profissionais; Engajamento profissional
      Tempo na FGV EAESP
      desde 2005
  • Liderança e Change Management

    Procurar bons líderes no mercado ou desenvolver gestores da própria empresa tem sido um grande desafio da área de pessoas. A escassez de profissionais de alta performance tem inquietado as empresas pelo fato de elas atuarem em um cenário incerto e também em um mercado dinâmico e desafiador. Não obstante profissionais se sentirem pouco preparados para enfrentarem as adversidades impostas pelo mercado, é consenso que a presença e o papel da liderança fazem toda diferença nas organizações. É requerido um líder exemplar, competente, colaborativo, criativo, decisivamente ágil e diferente e que saiba conduzir com maestria as mudanças impostas pelo mercado de trabalho. Assim, a disciplina “Liderança e Change Management” propõe trabalhar teoria e prática com o olhar voltado para o autoconhecimento e autodesenvolvimento da liderança, discutindo os aspectos essenciais e desafiadores do líder na organização.

    Procurar bons líderes no mercado ou desenvolver gestores da própria empresa tem sido um grande desafio da área de pessoas. A escassez de profissionais de alta performance tem inquietado as empresas pelo fato de elas atuarem em um cenário incerto e também em um mercado dinâmico e desafiador. Não obstante profissionais se sentirem pouco preparados para enfrentarem as adversidades impostas pelo mercado, é consenso que a presença e o papel da liderança fazem toda diferença nas organizações. É requerido um líder exemplar, competente, colaborativo, criativo, decisivamente ágil e diferente e que saiba conduzir com maestria as mudanças impostas pelo mercado de trabalho. Assim, a disciplina “Liderança e Change Management” propõe trabalhar teoria e prática com o olhar voltado para o autoconhecimento e autodesenvolvimento da liderança, discutindo os aspectos essenciais e desafiadores do líder na organização.

    Carga horária
    30h
    • Anderson de Souza Sant’Anna

      Anderson de Souza Sant’Anna

      Anderson de Souza Sant'Anna é professor adjunto do Departamento de Administração Geral e de Recursos Humanos da FGV-EAESP. É...

      Saiba mais
      Títulação
      Doutor em Administração pela Universidade Federal de Minas Gerais
      Qualificação
      Credenciais iniciais acadêmicas; Engajamento acadêmico
      Tempo na FGV EAESP
      desde 2019
  • Governança, Anticorrupção e Compliance

    O curso conceitua o problema de corrupção na Sociedade, discutindo diversas abordagens: coletiva, individual, histórica e empresarial. Num segundo momento, introduz os principais instrumento de compliance e governança necessários para mitigar a corrupção. Por fim, explora os elementos de governança tais como implementação e sua aplicação em empresas familiares.

    O curso conceitua o problema de corrupção na Sociedade, discutindo diversas abordagens: coletiva, individual, histórica e empresarial. Num segundo momento, introduz os principais instrumento de compliance e governança necessários para mitigar a corrupção. Por fim, explora os elementos de governança tais como implementação e sua aplicação em empresas familiares.

    Carga horária
    30h
    • Gustavo Andrey de Almeida Lopes Fernandes

      Gustavo Andrey de Almeida Lopes Fernandes

      Pesquisador do Centro de Estudos de Administração Pública e Governo da Fundação Getulio Vargas (FGVceapg). Professor Assistente do Departamento de...

      Saiba mais
      Títulação
      Doutor em Economia pela Universidade de São Paulo
      Qualificação
      Credenciais iniciais acadêmicas; Engajamento acadêmico
      Tempo na FGV EAESP
      desde 2012
    • Marcelo Marinho Aidar

      Marcelo Marinho Aidar

      Graduado em Administração de Empresas com habilitação em Administração Pública pela Fundação Getulio Vargas - SP (1986), mestre...

      Saiba mais
      Títulação
      Doutor em Administração de Empresas pela Fundação Getulio Vargas
      Qualificação
      Credenciais iniciais acadêmicas; Engajamento profissional
      Tempo na FGV EAESP
      desde 2000
  • Sustentabilidade e Inovação

    A trajetória da sustentabilidade na discussão econômica e de gestão começa nos anos de 1960, acelera em 1970, marca presença na agenda política global em 1980 e passa a integrar as agendas empresarias a partir de 1990. Assim como o mundo se transformou (e transforma) desde então, a posição e a agenda de sustentabilidade no espaço corporativo ganham diferentes contornos e propósitos. Esta disciplina tem como objetivo central apresentar aos alunos este histórico e o contexto atual das discussões de sustentabilidade empresarial, apresentando também diferentes narrativas e abordagens que organizações (empresariais e não-empresarias) adotam para este tema que é central, hoje, à humanidade. O que é sustentabilidade? Como as empresas enxergam este assunto e como respondem a ele? O que é greenwashing? O que é ESG? E Antropoceno? Qual o papel das empresas na agenda dos ODS? O que vem depois para as empresas? Como, enquanto formuladores de estratégia ou executivos de organizações, podemos incorporar estas discussões nas decisões organizacionais? Como facilitamos as transformações em direção à sustentabilidade desejada? Como estabelecer uma agenda de sustentabilidade corporativa alinhada às demandas globais e locais? Estas são algumas perguntas sobre as quais nos debruçaremos e tentaremos criar respostas em nossos encontros.

    A trajetória da sustentabilidade na discussão econômica e de gestão começa nos anos de 1960, acelera em 1970, marca presença na agenda política global em 1980 e passa a integrar as agendas empresarias a partir de 1990. Assim como o mundo se transformou (e transforma) desde então, a posição e a agenda de sustentabilidade no espaço corporativo ganham diferentes contornos e propósitos. Esta disciplina tem como objetivo central apresentar aos alunos este histórico e o contexto atual das discussões de sustentabilidade empresarial, apresentando também diferentes narrativas e abordagens que organizações (empresariais e não-empresarias) adotam para este tema que é central, hoje, à humanidade. O que é sustentabilidade? Como as empresas enxergam este assunto e como respondem a ele? O que é greenwashing? O que é ESG? E Antropoceno? Qual o papel das empresas na agenda dos ODS? O que vem depois para as empresas? Como, enquanto formuladores de estratégia ou executivos de organizações, podemos incorporar estas discussões nas decisões organizacionais? Como facilitamos as transformações em direção à sustentabilidade desejada? Como estabelecer uma agenda de sustentabilidade corporativa alinhada às demandas globais e locais? Estas são algumas perguntas sobre as quais nos debruçaremos e tentaremos criar respostas em nossos encontros.

    Carga horária
    30h
    • Luis Felipe Bismarchi

      Administrador (FEA-USP), mestre e doutor pelo Programa de Ciência Ambiental da USP (PROCAM) e realizou pós-doutorado em Administração (FEA-USP)....

      Saiba mais
    • Tales Andreassi

      Tales Andreassi

      Graduado em Administração pela Universidade de São Paulo (1989), mestrado em Administração pela Universidade de São Paulo (1994...

      Saiba mais
      Títulação
      Doutor em Administração pela Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP
      Qualificação
      Credenciais iniciais acadêmicas; Engajamento acadêmico
      Tempo na FGV EAESP
      desde 2000
Disciplina
Carga Horária
Professor
  • Seminário de Trabalho Aplicado de Gestão de Saúde I

    A disciplina Seminário de Trabalho Aplicado (TA) de Gestão de Saúde tem por objetivo instrumentalizar os alunos em relação aos métodos de pesquisa necessários para a elaboração do TA conforme as recomendações específicas do Guia do Trabalho Aplicado do Mestrado Profissional em Gestão para Competitividade (MPGC), além de outras metodologias de pesquisa de maneira geral. Também buscará estimular os alunos a escreverem artigos científicos ou para outros veículos.

    A disciplina Seminário de Trabalho Aplicado (TA) de Gestão de Saúde tem por objetivo instrumentalizar os alunos em relação aos métodos de pesquisa necessários para a elaboração do TA conforme as recomendações específicas do Guia do Trabalho Aplicado do Mestrado Profissional em Gestão para Competitividade (MPGC), além de outras metodologias de pesquisa de maneira geral. Também buscará estimular os alunos a escreverem artigos científicos ou para outros veículos.

    Carga horária
    30h
    • Ana Maria Malik

      Médica pela Faculdade de Medicina da USP (1978), Mestre em Administração de Empresas pela Fundação Getulio Vargas - SP (1983) e...

      Saiba mais
      Títulação
      Doutora em Medicina pela Universidade de São Paulo
      Qualificação
      Credenciais iniciais acadêmicas; Engajamento acadêmico
  • Seminário de Trabalho Aplicado de Gestão de Saúde II

    Ajudar o aluno na elaboração do seu TA, assumindo que a relação com o orientador é a prioridade; Promover a discussão entre os alunos sobre os TAs dos colegas; Estimular atividades de escrita – casos, resumos, artigos curtos.

    Ajudar o aluno na elaboração do seu TA, assumindo que a relação com o orientador é a prioridade; Promover a discussão entre os alunos sobre os TAs dos colegas; Estimular atividades de escrita – casos, resumos, artigos curtos.

    Carga horária
    30h
    • Ana Maria Malik

      Médica pela Faculdade de Medicina da USP (1978), Mestre em Administração de Empresas pela Fundação Getulio Vargas - SP (1983) e...

      Saiba mais
      Títulação
      Doutora em Medicina pela Universidade de São Paulo
      Qualificação
      Credenciais iniciais acadêmicas; Engajamento acadêmico
    • Walter Cintra Ferreira Junior

      Walter Cintra Ferreira Junior

      Graduado em Medicina pela Universidade de São Paulo (1985), mestre em Administração de Empresas pela Escola de Administração de...

      Saiba mais
      Títulação
      Doutor em Administração de Empresas pela Fundação Getulio Vargas
      Qualificação
      Credenciais iniciais acadêmicas; Engajamento profissional
      Tempo na FGV EAESP
      desde 2016
Disciplina
Carga Horária
Professor
  • Saúde da População

    Dentro da dimensão Global a disciplina de Saúde Populacional e Big Data abordará o conceito contemporâneo de saúde da população e as possibilidades de sua gestão por meio da utilização da tecnologia da informação e comunicação (data science), abordagens inovadoras para a mudança de comportamento e gestão integrada em saúde com suas implicações para as pessoas, as empresas, as comunidades e os países. Com isso, será analisada uma visão ampliada da saúde que inclui o bem-estar e a qualidade de vida com suas múltiplas dimensões e implicações.

    Dentro da dimensão Global a disciplina de Saúde Populacional e Big Data abordará o conceito contemporâneo de saúde da população e as possibilidades de sua gestão por meio da utilização da tecnologia da informação e comunicação (data science), abordagens inovadoras para a mudança de comportamento e gestão integrada em saúde com suas implicações para as pessoas, as empresas, as comunidades e os países. Com isso, será analisada uma visão ampliada da saúde que inclui o bem-estar e a qualidade de vida com suas múltiplas dimensões e implicações.

    Carga horária
    15h
    • Alberto José Niituma Ogata

      Doutor em Saúde Coletiva (USP), Mestre em Medicina (UNIFESP), Mestre Profissional em Economia e Gestão da Saúde (UNIFESP),...

      Saiba mais
      Títulação
      Doutor em Saúde Coletiva - Universidade de São Paulo
  • Novos Modelos de Organização na Saúde

    Apresentar e discutir tendências para organização do sistema e serviços de saúde a partir do entendimento da evolução histórica dos sistemas de saúde; Apresentar e discutir modelos e experiências de aplicação dos conceitos da governança clínica, cuidado centrado no paciente, organização do trabalho da equipe multiprofissional e atenção ambulatorial visando maior segurança assistencial e eficiência operacional; Discutir as práticas da liderança transformadora e estratégias para desenvolvimento de equipes de alta performance, visando preparar as instituições de saúde para esses novos cenários.

    Apresentar e discutir tendências para organização do sistema e serviços de saúde a partir do entendimento da evolução histórica dos sistemas de saúde; Apresentar e discutir modelos e experiências de aplicação dos conceitos da governança clínica, cuidado centrado no paciente, organização do trabalho da equipe multiprofissional e atenção ambulatorial visando maior segurança assistencial e eficiência operacional; Discutir as práticas da liderança transformadora e estratégias para desenvolvimento de equipes de alta performance, visando preparar as instituições de saúde para esses novos cenários.

    Carga horária
    15h
    • Gonzalo Vecina Neto

      Graduado pela Faculdade de Medicina de Jundiaí, é Mestre em Administração, Concentração de Saúde, pela EAESP/FGV, Escola de...

      Saiba mais
      Títulação
      Mestre em Administração pela Fundação Getulio Vargas
  • Políticas de Saúde

    A presente disciplina tem como objetivo principal fornecer meios para que os participantes analisem de forma crítica as tendências nos sistemas de saúde internacionais e brasileiro, no sentido de projetar o futuro de suas organizações, públicas ou privadas. Apresentar a saúde como Política Social e recompor sua trajetória privilegiando as lógicas de sua conformação e a relação público/privado. Estimular a reflexão sobre os desafios estruturais para a construção de um sistema universal de saúde no Brasil. Apresentar noções gerais sobre federalismo destacando sua relação com o Sistema Único de Saúde (SUS) contemplando os dilemas da cooperação intergovernamental. A relação entre regionalização e federalismo e sua importância para a configuração do SUS.

    A presente disciplina tem como objetivo principal fornecer meios para que os participantes analisem de forma crítica as tendências nos sistemas de saúde internacionais e brasileiro, no sentido de projetar o futuro de suas organizações, públicas ou privadas. Apresentar a saúde como Política Social e recompor sua trajetória privilegiando as lógicas de sua conformação e a relação público/privado. Estimular a reflexão sobre os desafios estruturais para a construção de um sistema universal de saúde no Brasil. Apresentar noções gerais sobre federalismo destacando sua relação com o Sistema Único de Saúde (SUS) contemplando os dilemas da cooperação intergovernamental. A relação entre regionalização e federalismo e sua importância para a configuração do SUS.

    Carga horária
    15h
    • Adriano Massuda

      Adriano Massuda

      Adriano Massuda é Secretário de Atenção Especializada do Ministério da Saúde e médico formado pela UFPR, com residências em...

      Saiba mais
      Títulação
      Doutor em Saúde Coletiva pela Unicamp e Coordenador FGVSaúde
      Qualificação
      Credenciais iniciais profissionais; Engajamento acadêmico
      Tempo na FGV EAESP
      desde 2020
  • Marketing Aplicado à Saúde

    Analisar os principais conceitos do marketing e sua aplicabilidade no ambiente de serviços de saúde; mercadológica de variáveis relevantes ao atual ambiente competitivo do setor. Possibilitar o desenvolvimento de estratégias mercadológicas adequadas aos vários cenários encontrados no ambiente médico hospitalar

    Analisar os principais conceitos do marketing e sua aplicabilidade no ambiente de serviços de saúde; mercadológica de variáveis relevantes ao atual ambiente competitivo do setor. Possibilitar o desenvolvimento de estratégias mercadológicas adequadas aos vários cenários encontrados no ambiente médico hospitalar

    Carga horária
    15h
    • Edgard Elie Roger Barki

      Edgard Elie Roger Barki

      Possui graduação em Administração de Empresas pela Universidade de São Paulo, mestrado e doutorado em Administração de Empresas pela Fundação...

      Saiba mais
      Títulação
      Doutor em Administração de Empresas pela Fundação Getulio Vargas
      Qualificação
      Credenciais iniciais acadêmicas; Engajamento acadêmico
      Tempo na FGV EAESP
      desde 2008
  • Gestão em Saúde Suplementar

    A disciplina tem como objetivo analisar a uti- lização das informações pelas operadoras de planos de saúde no mercado suplementar brasileiro para conhecer o perfil da população beneficiária e desenvolver ações para garantir a qualidade dos serviços e a sustentabilidade do setor.

    A disciplina tem como objetivo analisar a uti- lização das informações pelas operadoras de planos de saúde no mercado suplementar brasileiro para conhecer o perfil da população beneficiária e desenvolver ações para garantir a qualidade dos serviços e a sustentabilidade do setor.

    Carga horária
    15h
    • Adriano Massuda

      Adriano Massuda

      Adriano Massuda é Secretário de Atenção Especializada do Ministério da Saúde e médico formado pela UFPR, com residências em...

      Saiba mais
      Títulação
      Doutor em Saúde Coletiva pela Unicamp e Coordenador FGVSaúde
      Qualificação
      Credenciais iniciais profissionais; Engajamento acadêmico
      Tempo na FGV EAESP
      desde 2020
  • Empreendedorismo em Saúde

    A disciplina tem como objetivo apresentar uma visão abrangente e atual do processo empreendedor, discutindo conceitos, ferramentas e técnicas pioneiras, baseadas nas metodologias das leans startups, para a criação, desenvolvimento e avaliação de novos negócios na área da saúde.

    A disciplina tem como objetivo apresentar uma visão abrangente e atual do processo empreendedor, discutindo conceitos, ferramentas e técnicas pioneiras, baseadas nas metodologias das leans startups, para a criação, desenvolvimento e avaliação de novos negócios na área da saúde.

    Carga horária
    15h
    • Fernando Lopes Alberto

      Fernando L. Alberto atua no Grupo Fleury desde agosto de 2000 e atualmente é Conselheiro de Administração da empresa. Foi...

      Saiba mais
      Títulação
      Doutor em Clínica Médica pela Fac. De Ciências Médicas da UNICAMP
    • Marcelo Marinho Aidar

      Marcelo Marinho Aidar

      Graduado em Administração de Empresas com habilitação em Administração Pública pela Fundação Getulio Vargas - SP (1986), mestre...

      Saiba mais
      Títulação
      Doutor em Administração de Empresas pela Fundação Getulio Vargas
      Qualificação
      Credenciais iniciais acadêmicas; Engajamento profissional
      Tempo na FGV EAESP
      desde 2000
  • Sistemas Comparados de Saúde: Diferentes Realidades, Diferentes Modelos, Diferentes Resultados

    A disciplina objetiva realizar uma análise comparativa entre sistemas de saúde explorando diferentes de financiamento, governança e modelos assistenciais, enfatizando as diferenças entre as realidades, resultados e as dinâmicas no século XXI.

    A disciplina objetiva realizar uma análise comparativa entre sistemas de saúde explorando diferentes de financiamento, governança e modelos assistenciais, enfatizando as diferenças entre as realidades, resultados e as dinâmicas no século XXI.

    Carga horária
    15h
    • Adriano Massuda

      Adriano Massuda

      Adriano Massuda é Secretário de Atenção Especializada do Ministério da Saúde e médico formado pela UFPR, com residências em...

      Saiba mais
      Títulação
      Doutor em Saúde Coletiva pela Unicamp e Coordenador FGVSaúde
      Qualificação
      Credenciais iniciais profissionais; Engajamento acadêmico
      Tempo na FGV EAESP
      desde 2020
    • Walter Cintra Ferreira Junior

      Walter Cintra Ferreira Junior

      Graduado em Medicina pela Universidade de São Paulo (1985), mestre em Administração de Empresas pela Escola de Administração de...

      Saiba mais
      Títulação
      Doutor em Administração de Empresas pela Fundação Getulio Vargas
      Qualificação
      Credenciais iniciais acadêmicas; Engajamento profissional
      Tempo na FGV EAESP
      desde 2016
  • Novos Modelos de Negócio na Saúde

    O curso tem como principal objetivo o de apresentar novos modelos de negócios na área da saúde, estimulando a discussão de novas possibilidades empreendedora de serviços na saúde para gerar resultados e impacto social.

    O curso tem como principal objetivo o de apresentar novos modelos de negócios na área da saúde, estimulando a discussão de novas possibilidades empreendedora de serviços na saúde para gerar resultados e impacto social.

    Carga horária
    15h
    • Fernando Lopes Alberto

      Fernando L. Alberto atua no Grupo Fleury desde agosto de 2000 e atualmente é Conselheiro de Administração da empresa. Foi...

      Saiba mais
      Títulação
      Doutor em Clínica Médica pela Fac. De Ciências Médicas da UNICAMP
    • Marcelo Marinho Aidar

      Marcelo Marinho Aidar

      Graduado em Administração de Empresas com habilitação em Administração Pública pela Fundação Getulio Vargas - SP (1986), mestre...

      Saiba mais
      Títulação
      Doutor em Administração de Empresas pela Fundação Getulio Vargas
      Qualificação
      Credenciais iniciais acadêmicas; Engajamento profissional
      Tempo na FGV EAESP
      desde 2000
  • Qualidade e Segurança em Saúde

    O início da avaliação na área da saúde costuma ser vinculado à obra de Avedis Donabedian, em Michigan, nos anos 1960. Os estudos voltados à qualidade são analisados a partir de duas vertentes: uma associada à acreditação hospitalar, iniciada formalmente nos anos 1950, e outra, a partir dos trabalhos de Donald Berwick, no Harvard Community Health Plan, nos anos 1980.
    O movimento pela segurança nos serviços de saúde tomou força no início do século XXI, estando hoje difundido pela Organização Mundial da Saúde. O Brasil tem no seu ambiente algumas metodologias de acreditação, representadas por diferentes organizações, embora sua penetração no mercado hospitalar seja baixa; a avaliação de serviços tem seu espaço no poder público no sistema de vigilância sanitária (esse obrigatório para todo tipo de serviço). Nos últimos anos também teve início um movimento, a partir da ANS, de acreditação de operadoras. Além disso, na segunda década do século XXI, começam movimentos de privilegiar o cuidado centrado na pessoa e as experiências dos pacientes. A relação entre avaliação, qualidade e segurança dos hospitais e a competitividade destas organizações será objeto central de discussão da disciplina.

    O início da avaliação na área da saúde costuma ser vinculado à obra de Avedis Donabedian, em Michigan, nos anos 1960. Os estudos voltados à qualidade são analisados a partir de duas vertentes: uma associada à acreditação hospitalar, iniciada formalmente nos anos 1950, e outra, a partir dos trabalhos de Donald Berwick, no Harvard Community Health Plan, nos anos 1980.
    O movimento pela segurança nos serviços de saúde tomou força no início do século XXI, estando hoje difundido pela Organização Mundial da Saúde. O Brasil tem no seu ambiente algumas metodologias de acreditação, representadas por diferentes organizações, embora sua penetração no mercado hospitalar seja baixa; a avaliação de serviços tem seu espaço no poder público no sistema de vigilância sanitária (esse obrigatório para todo tipo de serviço). Nos últimos anos também teve início um movimento, a partir da ANS, de acreditação de operadoras. Além disso, na segunda década do século XXI, começam movimentos de privilegiar o cuidado centrado na pessoa e as experiências dos pacientes. A relação entre avaliação, qualidade e segurança dos hospitais e a competitividade destas organizações será objeto central de discussão da disciplina.

    Carga horária
    15h
    • Laura Maria Cesar Schiesari

      Laura Maria Cesar Schiesari

      Médica pediatra com mestrado em Saúde Pública pela Faculdade de Saúde Pública - Universidade de São Paulo (1999) e doutorado em Medicina pela...

      Saiba mais
      Títulação
      Doutora em Medicina pela Faculdade de Medicina - Universidade de São Paulo
      Qualificação
      Credenciais iniciais acadêmicas; Engajamento acadêmico
      Tempo na FGV EAESP
      desde 2018
  • Logística Aplicada à Saúde

    O setor de Saúde tem apresentado enormes desafios quando se trata de organizar suas operações e sua cadeia de suprimentos. Desta forma, a presente disciplina tem como objetivo apresentar os conceitos relacionados a Cadeia de Suprimentos em Saúde e Logística Hospitalar, discutindo tendências e oportunidades para uma gestão mais competitiva e colaborativa das organizações do setor.
    A gestão da cadeia de suprimentos em saúde pode ser entendida como “gestão do fluxo de informações, insumos e recursos financeiros envolvidos na aquisição e movimentação de produtos e serviços desde os fornecedores até o cliente final de forma a melhorar o desempenho do hospital com controle de custos.”
    Desta forma, entende-se como seus objetivos a garantia do insumo e atendimento ao paciente, redução de custos com materiais e equipamento, garantia de segurança hospitalar ao fornecendo nível de serviço aos pacientes e um bom relacionamento com médicos e prestadores de serviços.

    O setor de Saúde tem apresentado enormes desafios quando se trata de organizar suas operações e sua cadeia de suprimentos. Desta forma, a presente disciplina tem como objetivo apresentar os conceitos relacionados a Cadeia de Suprimentos em Saúde e Logística Hospitalar, discutindo tendências e oportunidades para uma gestão mais competitiva e colaborativa das organizações do setor.
    A gestão da cadeia de suprimentos em saúde pode ser entendida como “gestão do fluxo de informações, insumos e recursos financeiros envolvidos na aquisição e movimentação de produtos e serviços desde os fornecedores até o cliente final de forma a melhorar o desempenho do hospital com controle de custos.”
    Desta forma, entende-se como seus objetivos a garantia do insumo e atendimento ao paciente, redução de custos com materiais e equipamento, garantia de segurança hospitalar ao fornecendo nível de serviço aos pacientes e um bom relacionamento com médicos e prestadores de serviços.

    Carga horária
    15h
    • Priscila Laczynski de Souza Miguel

      Priscila Laczynski de Souza Miguel

      Graduada em Engenharia Química pela Universidade Estadual de Campinas (1995), possui mestrado e doutorado em Administração de...

      Saiba mais
      Títulação
      Doutora em Administração de Empresas pela Fundação Getulio Vargas
      Qualificação
      Credenciais iniciais acadêmicas; Engajamento acadêmico
      Tempo na FGV EAESP
      desde 2011
  • Redes e Valor em Saúde

    Dentro da dimensão Organizacional, a disciplina redes e valor em saúde abordará a discussão sobre Valor em Saúde e da cadeia de valor, juntamente com o conceito de redes assistenciais, não esposando nenhum dos modelos atualmente em pauta mas discutindo boa parte deles  A intenção é analisar a aplicação dos conceitos em casos nacionais, do setor público e do setor privado, para pensar na sua utilização nas organizações em que os alunos trabalham.

    Dentro da dimensão Organizacional, a disciplina redes e valor em saúde abordará a discussão sobre Valor em Saúde e da cadeia de valor, juntamente com o conceito de redes assistenciais, não esposando nenhum dos modelos atualmente em pauta mas discutindo boa parte deles  A intenção é analisar a aplicação dos conceitos em casos nacionais, do setor público e do setor privado, para pensar na sua utilização nas organizações em que os alunos trabalham.

    Carga horária
    15h
    • Ana Maria Malik

      Médica pela Faculdade de Medicina da USP (1978), Mestre em Administração de Empresas pela Fundação Getulio Vargas - SP (1983) e...

      Saiba mais
      Títulação
      Doutora em Medicina pela Universidade de São Paulo
      Qualificação
      Credenciais iniciais acadêmicas; Engajamento acadêmico
    • Walter Cintra Ferreira Junior

      Walter Cintra Ferreira Junior

      Graduado em Medicina pela Universidade de São Paulo (1985), mestre em Administração de Empresas pela Escola de Administração de...

      Saiba mais
      Títulação
      Doutor em Administração de Empresas pela Fundação Getulio Vargas
      Qualificação
      Credenciais iniciais acadêmicas; Engajamento profissional
      Tempo na FGV EAESP
      desde 2016
  • Indicadores de Saúde

    No contexto atual cresce a exigência para que os serviços de saúde, tanto privados, quanto da área pública, organizem-se de modo a responder às necessidades e preferencias das pessoas e ofereçam um cuidado efetivo e humanizado. O gestor de saúde é, necessariamente, um usuário da informação. As organizações estão abarrotadas de informações, ainda mais com a implantação – cada vez mais comum – dos sistemas integrados de gestão e do prontuário eletrônico.
     Os conceitos e as ferramentas da Epidemiologia Gerencial auxiliam os administradores a tomarem decisões baseando-se em informações técnicas e científicas (evidências) que definem as necessidades e avaliam os resultados a partir da perspectiva populacional, possibilitando a eles o equacionamento de questões centrais tais como: definir os serviços que serão oferecidos pela organização e as habilidades requeridas para o staff, organizar os processos, e determinar se a organização é efetiva e produz os resultados desejados.

    No contexto atual cresce a exigência para que os serviços de saúde, tanto privados, quanto da área pública, organizem-se de modo a responder às necessidades e preferencias das pessoas e ofereçam um cuidado efetivo e humanizado. O gestor de saúde é, necessariamente, um usuário da informação. As organizações estão abarrotadas de informações, ainda mais com a implantação – cada vez mais comum – dos sistemas integrados de gestão e do prontuário eletrônico.
     Os conceitos e as ferramentas da Epidemiologia Gerencial auxiliam os administradores a tomarem decisões baseando-se em informações técnicas e científicas (evidências) que definem as necessidades e avaliam os resultados a partir da perspectiva populacional, possibilitando a eles o equacionamento de questões centrais tais como: definir os serviços que serão oferecidos pela organização e as habilidades requeridas para o staff, organizar os processos, e determinar se a organização é efetiva e produz os resultados desejados.

    Carga horária
    15h
    • Adriano Massuda

      Adriano Massuda

      Adriano Massuda é Secretário de Atenção Especializada do Ministério da Saúde e médico formado pela UFPR, com residências em...

      Saiba mais
      Títulação
      Doutor em Saúde Coletiva pela Unicamp e Coordenador FGVSaúde
      Qualificação
      Credenciais iniciais profissionais; Engajamento acadêmico
      Tempo na FGV EAESP
      desde 2020
  • Finanças Aplicadas à Gestão em Saúde

    O objetivo é apresentar conceitos básicos de Finanças que permitam uma visão estratégica da área financeira, contribuindo para uma ges- tão orientada para valor.

    O objetivo é apresentar conceitos básicos de Finanças que permitam uma visão estratégica da área financeira, contribuindo para uma ges- tão orientada para valor.

    Carga horária
    15h
    • Fabio Gallo Garcia

      Fabio Gallo Garcia

      Professor da Escola de Administração de Empresas de São Paulo da Fundação Getúlio Vargas e da Pontíficia Universidade Católica...

      Saiba mais
      Títulação
      Doutor em Administração de Empresas pela Fundação Getulio Vargas
      Qualificação
      Credenciais iniciais acadêmicas; Engajamento acadêmico
      Tempo na FGV EAESP
      desde 1999
  • Qualidade e Experiência do Paciente

    O curso tem como objetivo apresentar e discutir a experiência do paciente, as vantagens desse modelo, os principais drivers para implementar um projeto de Experiência de Pacientes nas Instituições, incorporar o enfoque da Experiência do Paciente na sua Organização, conhecer as principais metodologias e técnicas para desenhar uma boa gestão da experiência: colaboradores, liderança, pacientes e familiares. Como metodologia, haverá apresentação de cases, vídeos, e exercícios práticos, objetivando aliar a teoria à prática, os participantes deverão aplicar em aula, os conceitos aprendidos para a implantação da gestão da experiência do paciente.

    O curso tem como objetivo apresentar e discutir a experiência do paciente, as vantagens desse modelo, os principais drivers para implementar um projeto de Experiência de Pacientes nas Instituições, incorporar o enfoque da Experiência do Paciente na sua Organização, conhecer as principais metodologias e técnicas para desenhar uma boa gestão da experiência: colaboradores, liderança, pacientes e familiares. Como metodologia, haverá apresentação de cases, vídeos, e exercícios práticos, objetivando aliar a teoria à prática, os participantes deverão aplicar em aula, os conceitos aprendidos para a implantação da gestão da experiência do paciente.

    Carga horária
    15h
    • Laura Maria Cesar Schiesari

      Laura Maria Cesar Schiesari

      Médica pediatra com mestrado em Saúde Pública pela Faculdade de Saúde Pública - Universidade de São Paulo (1999) e doutorado em Medicina pela...

      Saiba mais
      Títulação
      Doutora em Medicina pela Faculdade de Medicina - Universidade de São Paulo
      Qualificação
      Credenciais iniciais acadêmicas; Engajamento acadêmico
      Tempo na FGV EAESP
      desde 2018
  • Cenário da Saúde Pública & Privada

    A disciplina se propõe, com um conteúdo finalístico (no último semestre acadêmico do programa), a trazer à discussão o cenário contemporâneo da saúde no Brasil, no primeiro semestre do ano.
    A entrada, a saída e a movimentação dos diversos atores (públicos e privados) no mercado será objeto dos encontros, à luz da experiência dos alunos, dos docentes e de eventuais convidados.
    As propostas de atuação em separado dos subsetores e do inter-relacionamento entre eles, das facilidades, dificuldades e dos novos caminhos desenhados e os resultados de curto prazo de suas implantações deverão ser trazidos.
    Em 5 encontros, haverá a apresentação do cenário do semestre em curso, das propostas de curto prazo dos atores públicos e privados e das experiências dos alunos, mediadas pelo(s) docente(s) 

    A disciplina se propõe, com um conteúdo finalístico (no último semestre acadêmico do programa), a trazer à discussão o cenário contemporâneo da saúde no Brasil, no primeiro semestre do ano.
    A entrada, a saída e a movimentação dos diversos atores (públicos e privados) no mercado será objeto dos encontros, à luz da experiência dos alunos, dos docentes e de eventuais convidados.
    As propostas de atuação em separado dos subsetores e do inter-relacionamento entre eles, das facilidades, dificuldades e dos novos caminhos desenhados e os resultados de curto prazo de suas implantações deverão ser trazidos.
    Em 5 encontros, haverá a apresentação do cenário do semestre em curso, das propostas de curto prazo dos atores públicos e privados e das experiências dos alunos, mediadas pelo(s) docente(s) 

    • Adriano Massuda

      Adriano Massuda

      Adriano Massuda é Secretário de Atenção Especializada do Ministério da Saúde e médico formado pela UFPR, com residências em...

      Saiba mais
      Títulação
      Doutor em Saúde Coletiva pela Unicamp e Coordenador FGVSaúde
      Qualificação
      Credenciais iniciais profissionais; Engajamento acadêmico
      Tempo na FGV EAESP
      desde 2020
  • Legislação, Regulação e Judicialização em Saúde

    Dentro da Dimensão Global, a disciplina de Legislação, Regulação e Judicialização em saúde abordará a saúde como um direito constitucionalmente garantido. Os aspectos da legislação aplicada à gestão em saúde, vigentes no ordenamento jurídico brasileiro, e o trato entre o setor público e o setor privado. Os princípios e regras que estruturam o Direito Administrativo e o Direito Sanitário. O fenômeno da judicialização.

    Dentro da Dimensão Global, a disciplina de Legislação, Regulação e Judicialização em saúde abordará a saúde como um direito constitucionalmente garantido. Os aspectos da legislação aplicada à gestão em saúde, vigentes no ordenamento jurídico brasileiro, e o trato entre o setor público e o setor privado. Os princípios e regras que estruturam o Direito Administrativo e o Direito Sanitário. O fenômeno da judicialização.

    Carga horária
    15h
    • Adriano Massuda

      Adriano Massuda

      Adriano Massuda é Secretário de Atenção Especializada do Ministério da Saúde e médico formado pela UFPR, com residências em...

      Saiba mais
      Títulação
      Doutor em Saúde Coletiva pela Unicamp e Coordenador FGVSaúde
      Qualificação
      Credenciais iniciais profissionais; Engajamento acadêmico
      Tempo na FGV EAESP
      desde 2020
  • Discussão de Projeto I

    A disciplina de Projetos I – Seminários TA tem a duração de um bimestre e tem por objetivo introduzir aos alunos os instrumentos necessários para a construção do Trabalho Aplicado (TA) conforme as recomendações de estrutura, conteúdo e métodos de pesquisa do Guia do Trabalho Aplicado do Mestrado Profissional em Gestão para Competitividade (MPGC).

    A disciplina de Projetos I – Seminários TA tem a duração de um bimestre e tem por objetivo introduzir aos alunos os instrumentos necessários para a construção do Trabalho Aplicado (TA) conforme as recomendações de estrutura, conteúdo e métodos de pesquisa do Guia do Trabalho Aplicado do Mestrado Profissional em Gestão para Competitividade (MPGC).

    Carga horária
    15h
    • Ana Maria Malik

      Médica pela Faculdade de Medicina da USP (1978), Mestre em Administração de Empresas pela Fundação Getulio Vargas - SP (1983) e...

      Saiba mais
      Títulação
      Doutora em Medicina pela Universidade de São Paulo
      Qualificação
      Credenciais iniciais acadêmicas; Engajamento acadêmico
  • Economia da Saúde

    O objetivo da disciplina é apresentar as relações de demanda e oferta do setor de Saúde no Brasil, comparando com outros sistemas existentes e discutindo perspectivas econômicas para o setor.

    O objetivo da disciplina é apresentar as relações de demanda e oferta do setor de Saúde no Brasil, comparando com outros sistemas existentes e discutindo perspectivas econômicas para o setor.

    Carga horária
    16h

    Não definido

                                                                                                     

Esse site usa cookies

Nosso website coleta informações do seu dispositivo e da sua navegação e utiliza tecnologias como cookies para armazená-las e permitir funcionalidades como: melhorar o funcionamento técnico das páginas, mensurar a audiência do website e oferecer produtos e serviços relevantes por meio de anúncios personalizados. Para mais informações, acesse o nosso Aviso de Cookies e o nosso Aviso de Privacidade.