Tecnologia de Informação e Educação

Tecnologia de Informação e Educação

Tecnologia de Informação e Educação

 

1. CONTEXTO

A educação pode ser entendida como sendo o processo de formação, transformação e preparação do indivíduo para a sua convivência social, as suas realizações pessoais e profissionais, e aquisição das competências necessárias para a sua vida.

O processo ensino-aprendizagem compreende a criação e sistematização do conhecimento, o compartilhamento e a transferência do conhecimento, e a aquisição, o uso e a apropriação do conhecimento.

A educação não é mais considerada como algo adquirido durante a juventude e que serve para a vida toda. A educação moderna não é mais homogênea em relação à idade; tanto nas aulas presenciais como nas classes virtuais são encontradas pessoas jovens que estão no início de carreira, de meia idade que já estão com sua carreira definida, e de idade avançada que estão aposentadas.

O conhecimento pode se tornar obsoleto rápida e continuamente, então a educação precisa criar um ambiente que facilite o aprendizado contínuo. Assim, a educação contínua está se tornando uma necessidade porque os indivíduos precisam acompanhar a evolução da sociedade e manter o aprimoramento constante de suas competências.

A educação e o entretenimento estão convergindo com o uso de softwares, livros eletrônicos e jogos interativos que têm componentes educacionais para crianças, jovens e adultos. Esta forma de educação é considerada efetiva porque o usuário fica imerso numa experiência de aprendizado bastante diferente das tradicionais.

A entrega de instrução educacional está mudando, inclusive com a aplicação e uso de meios eletrônicos. Os participantes do processo educacional poderão decidir quando e onde ele será realizado.

A educação, como processo de formação, transformação e preparação do indivíduo é composto pelo nível fundamental, médio e superior. Estes níveis devem ter seus próprios objetivos e resultados, mas também devem ser considerados como etapas de um processo educacional completo, ou seja, com integração entre suas etapas.

 

2. EDUCAÇÃO

A Educação é composta por Dimensões e Componentes, e sua gestão deve considerá-los e também os aspectos administrativos/recursos das instituições dentro de um contexto socioeconômico (Albertin; Albertin, 2013 e 20141).

2.1. Dimensões da Educação

A educação pode ser entendida por meio das Dimensões da Educação: Conhecimento, criação e sistematização, Programas e Cursos, e Resultados. As dimensões de Conhecimento e Programas e Cursos são a base para atingir a dimensão de Resultados, esta relação implica em enfoques diferentes nos processos de avaliação.

Conhecimento: A criação e a sistematização de conhecimento decorrem da organização de professores, pesquisadores e alunos em suas áreas de competência, atuação e interesse. Esses professores e alunos também podem atuar em outras áreas e formas de organização. Os fatores críticos de sucesso nesta dimensão são a definição, perfil e critérios para a composição do quadro de professores, pesquisadores e alunos, bem como sua capacidade de pesquisa, publicação e orientação.

Programas e Cursos: Os cursos são definidos por regimentos e normas que estruturam sua proposta, suas disciplinas, atividades acadêmicas e demais detalhes dos cursos. O crítico nesta dimensão é a construção de uma estrutura curricular que maximize o compartilhamento de conhecimentos dos professores com seus alunos, conhecimento este integrado aos projetos de pesquisa, de tal modo que este conjunto permita resultados de formação e aprimoramento da capacitação de alto nível.

Resultados: Os resultados dos programas e cursos são consolidados na capacitação dos alunos que participaram do processo ensino-aprendizagem. Os resultados das pesquisas devem ser expressos em publicações, contribuições sociais e empresariais, participação em instituições e atividades relacionadas, que permitam medir o impacto e a contribuição dos programas. A visibilidade nacional e internacional e relevância dos resultados são os fatores críticos nesta dimensão, condições estas que decorrem da capacitação dos alunos e do seu desempenho educacional, profissional e social, e da produção intelectual dos professores e dos alunos, publicada em periódicos nacionais e internacionais de grande relevância. Um dos desafios mais importantes na educação é definir quais os resultados esperados e como medir se e quando são alcançados.

2.2. Componentes de Educação

Os programas e cursos devem ser estruturados em componentes de maneira a maximizar o aproveitamento da qualidade dos professores, pesquisadores e alunos, para garantir o alto nível de seus resultados. Albertin e Moura2 (1994) propuseram a os Componentes de Educação: Objetivos e Corpo Discente, Conteúdo, Estratégia Pedagógica e Infraestrutura.

O componente Objetivo, central, é composto pelo Objetivo do Curso e pelo Objetivo Pedagógico, junto com o público a que se destina o curso, que são a base para integração com a estratégia e os demais cursos da escola, assim como para a definição dos demais componentes. O conteúdo, a metodologia e as tecnologias devem ter clara relação e coerência com os objetivos e corpo discente, e entre si, como componentes que interagem e formam o curso em si.

O componente Conteúdo é o conhecimento que deve ser transferido, compartilhado, adquirido e apropriado pelos alunos, na forma mais adequada a estes, permitindo que o processo de ensino-aprendizagem ocorra.

O componente Estratégia Pedagógica se refere às estratégias de ensino que permitem que o conteúdo seja transferido, compartilhado, adquirido e apropriado pelos alunos, garantindo assim os resultados do processo de ensino-aprendizagem.

O componente Infraestrutura inclui a infraestrutura e as tecnologias de informação e comunicação necessárias para a prática das estratégias de ensino e o acesso ao conteúdo em suas formas e localizações diversas, bem como a interação entre os participantes do processo ensino-aprendizagem.

Estes componentes mantêm uma relação de exigência e restrição entre si, o conteúdo exige determinadas metodologias de ensino, bem como tecnologias para seu tratamento e para a realização do curso, ao mesmo tempo ele pode ser restringido pelas metodologias utilizadas e pelas tecnologias aplicadas se houver incoerência no tratamento dos componentes. De forma similar, a metodologia exige determinadas tecnologias para poder ser aplicada com sucesso, sob pena de estas a restringirem.

O conteúdo envolvido pode, devido à sua complexidade, impor exigências tanto nas ferramentas de tecnologia de informação e comunicação a serem utilizadas como na metodologia de ensino. Por sua vez, essas ferramentas podem, devido às suas complexidades, impor restrições no conteúdo e também na metodologia de ensino. Finalmente, a metodologia exige ferramentas adequadas devido à sua complexidade, podendo, se inadequadas, restringir certos aspectos do conteúdo.

As tecnologias de informação e comunicação podem ser utilizadas como ferramenta educacional. Segundo esta modalidade, essas tecnologias não são mais o instrumento que ensina o aprendiz, mas a ferramenta com a qual o aluno desenvolve algo, e, portanto, o aprendizado ocorre pelo fato de estar executando uma tarefa por intermédio dessas tecnologias. Essas tarefas podem ser pesquisas de informações, trocas de informações, consultas a bases de dados, criações de bases de dados, elaborações de textos, resoluções de diversos domínios do conhecimento e representações destas resoluções, controles de processos em tempo real, comunicação e uso de redes de computadores etc.

2.3. Dimensões e Componentes de Educação

Ao consolidarmos as dimensões e os componentes, estes últimos passam a ser uma das dimensões, influenciando e sendo influenciadas pelas demais dimensões, conforme a Figura 1.


Figura 1 – Dimensões e Componentes de Educação

 

Na parte acadêmica, a dimensão de Conhecimento, com seus professores, pesquisadores e alunos, devem ser a base para uma composição adequada e coerente dos componentes da educação, Programas e Cursos, que por sua vez devem garantir os Resultados esperados e avaliados para o processo de ensino-aprendizagem.

Na parte administrativa, encontram-se os resultados administrativos e os recursos outros, que garantem e relacionam com a parte acadêmica.

A figura 2 apresenta estrutura de gestão de educação, que considera a visão apresentada anteriormente e realça as suas inter-relações.


Figura 2 – Gestão de Educação

 

 

As três áreas de gestão são: institucional, que abrange o nível mais amplo; administrativo/financeiro, que trata dos recursos e resultados gerais da instituição; e acadêmico, no qual estão inseridas as dimensões e os componentes de educação. A gestão institucional se relaciona com a gestão administrativo/financeiro definindo a estratégia de recursos e resultados; e com a gestão acadêmica, definindo sua estratégia. A gestão acadêmica se relaciona com a gestão administrativo/financeiro por intermédio da aplicação dos recursos. Finalmente, as três áreas se relacionam tendo como fundamento o plano pedagógico.

3. Projeto Tecnologia de Informação e Educação

Os Estudos sobre Tecnologia de Informação e Educação têm como objetivo geral a consolidação da estrutura de dimensões e componentes de educação como uma base robusta para estudo de gestão de educação, avaliação institucional de educação e o papel e o poder de transformação da Tecnologia de Informação na Educação. O Projeto Dimensões e Componentes de Educação: uma base para avaliação, realizado com o apoio da CAPES pelo Observatório de Educação, faz parte do conjunto de iniciativas nesta área.

A questão de pesquisa que decorre desta argumentação é: Como ter uma educação de qualidade para toda sociedade, considerando as tendências sociais, econômicas e tecnológicas?

3.1. Objetivo Geral e Objetivos Específicos

O Projeto tem como objetivo geral identificar o papel da Tecnologia de Informação na Educação, considerando qualidade e acesso de toda sociedade, e as tendências sociais, econômicas e tecnológicas.

Os objetivos específicos estão assim definidos:

  1. Consolidar modelo de Gestão de Educação, com suas Dimensões e Componentes.
  2. Realizar estudos de casos de educação nos vários níveis, visando identificar o uso de TI e sua relação com as Dimensões e os Componentes de Educação.
  3. Identificar as tendências transformadoras do uso de TI na Educação.

 

3.2. Resultados Esperados e Contribuições

A educação é a base para a criação de uma sociedade, o que permite argumentar que deveria ter a máxima qualidade nos seus níveis e garantir o acesso de toda a sociedade.

No Brasil, o crescimento da oferta de educação nos níveis fundamental, médio, superior e pós-graduação, o crescimento da demanda por educação de qualidade, e as diferenças socioeconômicas da sociedade, justificam este projeto.

A contribuição para a prática são os subsídios para os gestores e profissionais de educação para o aproveitamento do potencial do uso de TI para atender as demandas socioeconômicas.

A contribuição acadêmica e científica é a fundamentação teórica e empírica para servir de base para estudos e pesquisas sobre o uso de Tecnologia de Informação na Educação.

3.2.1.  Divulgação dos Resultados

Este projeto prevê a divulgação dos seus resultados por meio da:

  1. participação em congressos com submissão de trabalhos sobre os resultados dos projetos integrados;
  2. submissão de artigos para periódicos apresentando os resultados dos projetos integrados; e
  3. divulgação dos principais resultados e working papers no site do FGVcia.

 

4. Referências

ALBERTIN, Alberto Luiz; ALBERTIN, Rosa Maria de Moura. Education Evaluation based on its Dimensions and  Components: An Analysis of Official Graduate Programs Evaluation in Brazil. Business and Management Review, ISSN 2047-0398, v. 4, n. 3, pp. 400-413, dezembro de 2014.

ALBERTIN, A. L. ; ALBERTIN, R. M. M . Avaliação de Educação com Base nas suas Dimensões e Componentes: uma análise da avaliação da CAPES. In: EnPQD 2013, 2013, Brasília. Anais do Em PQD 2013, 2013. v. 1. p. 1-17.

 

1ALBERTIN, Alberto Luiz; ALBERTIN, Rosa Maria de Moura. Education Evaluation based on its Dimensions and  Components: An Analysis of Official Graduate Programs Evaluation in Brazil. Business and Management Review, ISSN 2047-0398, v. 4, n. 3, pp. 400-413, dezembro de 2014.
ALBERTIN, A. L. ; ALBERTIN, R. M. M . Avaliação de Educação com Base nas suas Dimensões e Componentes: uma análise da avaliação da CAPES. In: EnPQD 2013, 2013, Brasília. Anais do Em PQD 2013, 2013. v. 1. p. 1-17.
2Albertin, A. L., & MOURA, R. M. Informática e a Educação Básica: Elaboração de Cenários Alternativos. 18º ENANPAD, Curitiba, setembro de 1.994
 

 

 

Equipe de pesquisadores

  • Alberto Luiz Albertin
    Coordenador do FGVcia
    Doutor em Administração pela Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da USP