Valoração não monetária de serviços ecossistêmicos culturais associados à restauração florestal

Valoração não monetária de serviços ecossistêmicos culturais associados à restauração florestal

Duração: 2020 - 2023
Financiamento: CTG Brasil/ IPÊ

Projeto de Pesquisa e Desenvolvimento no âmbito da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), financiado pela CTG Brasil e desenvolvido em parceria com o Instituto de Pesquisas Ecológicas (IPÊ). Tem por objetivo desenvolver um procedimento simplificado para estimar o valor não monetário de Serviços Ecossistêmicos Culturais (SEC) associados à regeneração e manutenção florestal em áreas denominadas Área de Conservação Ambiental (ACA).

O projeto se desenvolve na região do Pontal do Paranapanema e abrange as seguintes áreas: ACA Bom Pastor (SP), ACA Itaguajé (PR), ACA Laranjeiras (SP) e ACA Rosanela (SP).

A abordagem de valoração não monetária de serviços ecossistêmicos, aplicável ao contexto da análise das ACA, possibilitará: 

i)    A percepção de que tais áreas de florestas restauradas promovem e/ou tem o potencial de promover múltiplas formas de benefícios para as populações do entorno;
ii)    A identificação e qualificação dos valores intangíveis, a partir da valoração não monetária, apoiando a empresa gestora na reflexão sobre premissas e estratégias para aprimoramento da gestão das ACA e a relação com as populações que vivem em seu entorno.

Atividades

 
  • Levantamento de dados secundários sobre os territórios e grupos sociais do entorno das ACA;
  • Diálogo com atores chaves para complementação das informações secundárias e pactuar o levantamento coletivo de informações (oficinas com população local);
  • Realização de oficinas (coletivas) e entrevistas (individuais) com população local para levantamento dos valores intangíveis decorrentes da implementação e manutenção das ACA;
  • Entrevistas com especialistas para complementação da informação obtida em campo e a partir de dados secundários;
  • Sistematização da informação (incluindo a análise das narrativas registradas nas oficinas), à luz de referencial teórico pertinente às contribuições da natureza para às pessoas;
  • Reuniões presenciais com populações participantes do processo para devolutiva dos achados;
  • Consolidação de procedimento simplificado, resultados e recomendações que possam apoiam a empresa em seus processos de decisão internos;