Pegada de Carbono da Carne Bovina Brasileira

Pegada de Carbono da Carne Bovina Brasileira

O Centro de Estudos em Sustentabilidade da FGV (FGVces) lançou o projeto “Pegada de Carbono da Carne Bovina Brasileira (PCCBB)”, propondo-se a articular atores e conhecimentos necessários para que o Brasil possa conhecer com segurança e credibilidade os reais impactos gerados pela carne produzida no país, avaliando todo seu ciclo de vida, e relacionar esse fator ambiental à competitividade do produto no cenário internacional, com foco nas exportações para a União Europeia.

O projeto vem sendo conduzido e executado no contexto do Fundo de Pesquisa Aplicada da Fundação Getulio Vargas (FPA-FGV), principal financiadora, e conta com o apoio técnico e institucional de relevantes parceiros, mostrados abaixo.

O método para estudos que se baseiam na Avaliação de Ciclo de Vida (ACV), como a pegada de carbono, já está plenamente dominado por pesquisadores brasileiros. Apesar disso, estudos nacionais ainda são dependentes de bases de dados internacionais. Por isso, a criação de bases de dados locais é o maior desafio de um projeto como esse e depende de levantamentos específicos e metodologicamente consistentes ao longo de toda a cadeia produtiva. Por isso, os passos essenciais são identificar, sensibilizar, mobilizar e capacitar os seus principais integrantes, que deverão empenhar-se em um esforço coletivo inicial visando o interesse comum. Uma vez capacitado os atores e constituída a base de dados, as análises poderão ser realizadas, correlacionando os resultados com a competitividade do produto brasileiro no cenário internacional.

Objetivos

Os principais objetivos do projeto PCCBB são:

  • Aplicar a técnica de ACV em um caso-piloto, quantificando a pegada de carbono da carne bovina brasileira; e 
  • Ampliar a conscientização e o engajamento sobre o pensamento de ciclo de vida e o papel de cada ator na cadeia de produção da carne bovina; e 
  • Discutir a competitividade do produto nacional com base nos atributos ambientais evidenciados na pegada de carbono, com foco no mercado europeu; e
  • Disseminar os resultados do estudo para embasar a tomada de decisões que visem diminuir as emissões de GEE na cadeia de produção da carne bovina brasileira e melhorar a competitividade do produto.
 

Motivação

Há sinais concretos de que muito em breve aspectos socioambientais serão fatores críticos para a competitividade de produtos em mercados internacionais, com impactos diretos em importantes setores exportadores do Brasil. Um exemplo de demanda recente por informações ambientais de produtos é a The Single Market for Green Products Initiative da União Europeia. Essa iniciativa recomenda o uso da Avaliação de Ciclo de Vida (ACV) para mensurar a performance ambiental de produtos, e prevê o desenvolvimento de regras setoriais e padrões para a comunicação desses aspectos. É possível que tal exigência se torne mandatória para alguns produtos ou setores a partir de 2020. Há também uma consolidação de programas de rotulagem tipo III, que são programas voluntários em que informações ambientais de produtos são apresentadas de forma transparente, o que possibilitará a comparação entre produtos semelhantes.

Um dos produtos que se encaixa nesse arranjo é a carne bovina. Conhecer as emissões de gases de efeito estufa (GEE) decorrentes das atividades ao longo de seu ciclo de vida será uma das demandas. Em vista disso, é necessário que os diferentes atores envolvidos se mobilizem para fazer frente ao que pode ser uma ameaça ou uma oportunidade para essa cadeia produtiva de grande relevância no país. Este esforço demandará um olhar abrangente e um engajamento genuíno das partes, desde a produção de insumos, passando pelas atividades de cria, recria e engorda, bem como o abate, a produção e os transportes envolvidos no ciclo de vida do produto. Um fator-chave para isso é o domínio do conhecimento científico e dos dados específicos referentes à carne bovina no Brasil, seja no contexto das emissões de GEE, seja nos aspectos de competitividade. Somente com conhecimento autônomo e crível os produtores e exportadores brasileiros poderão sustentar as possíveis vantagens do produto nacional em relação aos seus competidores no mercado global. Só assim, também, poderão identificar com precisão eventuais pontos fracos, e saná-los de forma eficiente e tempestiva.

Para saber mais, clique aqui.

Atividades 

Desde o início do projeto, em maio de 2017, diversas atividades foram realizadas, incluindo pesquisa aplicada, levantamento de dados e informações, engajamento e capacitação, reuniões com os stakeholders, reuniões técnicas e divulgação do projeto em eventos relevantes. 

As principais atividades realizadas foram:

  • Kick-off do projeto e 1ª Reunião com os stakeholders – agosto/2017
  • Webinar técnico sobre pegada de carbono – fevereiro/2018
  • 2ª Reunião com os stakeholders – setembro/2018
  • 3ª Reunião com os stakeholders – fevereiro/2019
  • Revisão crítica do estudo da pegada de carbono – outubro/2019
  • Lançamento dos relatórios - novembro/2019
 

Publicações e Relatórios

Pegada de carbono da carne bovina brasileira exportada para a União Europeia: Sumário Executivo

O presente documento sintetiza os resultados do projeto PCCBB, que inclui dados sobre a pega- da de carbono da carne exportada para a UE, reflexões sobre as questões da exportação, recomendações para o setor e aprendizados de ordem técnico-metodológica e também prática. Os sistemas de produto analisados no PCCBB foram: (A) carne in natura produzida no Brasil (geral); (B) carne in natura produzida no Brasil e exportada para o mercado europeu; (C) carne in natura produzida no Brasil e exportada para o mercado europeu via Cota Hilton; e (D) carne in natura produzida no Brasil com boas práticas ambientais em programa estruturados.

Acesse a publicação

Pegada de carbono da carne bovina brasileira exportada para a União Europeia: resultados e premissas para o cálculo das emissões do ciclo de vida do produto

O presente relatório, denominado “Pegada de carbono da carne bovina brasileira exportada para a União Europeia: resultados e premissas para o cálculo das emissões do ciclo de vida do produto”, é parte integrante do Projeto PCCBB. Seu principal objetivo é fornecer subsídio técnico para embasar as discussões e análises do Projeto PCCBB, apresentadas em seu relatório final intitulado “Pegada de carbono da carne bovina brasileira exportada para a União Europeia: sumário executivo”.

Acesse a publicação

Pegada de carbono da carne bovina brasileira exportada para a União Europeia: análise da cadeia produtiva e aspectos ambientais

Esse documento aborda a análise da cadeia da pecuária no Brasil, seu contexto, potencialidades e desafios relacionados à competitividade e aos aspectos ambientais. O conteúdo deste documento serviu para dar subsídios às demais atividades que envolvem o projeto PCCBB, em especial a definição do escopo dos estudos de pegada de carbono da carne. Ao mesmo tempo, os dados reunidos aqui servirão para outros atores, que atuam direta ou indiretamente neste segmento, uma vez que reúne informações e visões dos três pilares do projeto, raramente analisados de forma combinada.

Acesso a publicação

 

Parceiros

Nosso website coleta informações do seu dispositivo e da sua navegação por meio de cookies para permitir funcionalidades como: melhorar o funcionamento técnico das páginas, mensurar a audiência do website e oferecer produtos e serviços relevantes por meio de anúncios personalizados. Para saber mais sobre as informações e cookies que coletamos, acesse a nossa Política de Cookies e a nossa Política de Privacidade.